Buscar
  • Osires Damaso

DAMASO DESTACA AS VOTAÇÕES MAIS IMPORTANTES DA SEMANA


A Câmara dos Deputados aprovou uma série de matérias importantes na semana e o deputado Osires Damaso (PSC/TO) destacou algumas delas. A primeira foi a Medida Provisória 1023/20, que define critérios para a concessão do Benefício de Prestação Continuada (BPC) a pessoas com renda familiar per capita de até ½ salário mínimo. A matéria será enviada ao Senado.


Foi incluído dispositivo na MP definindo novos parâmetros para avaliar a vulnerabilidade, por meio de regulamento do Poder Executivo, a fim de permitir a concessão do benefício a pessoas com essa renda. O texto original da MP definia como limite a renda familiar per capita inferior a 1/4 do salário mínimo.


Pelo texto aprovado, são três os critérios: - o grau da deficiência; - a dependência de terceiros para o desempenho de atividades básicas da vida diária; e - o comprometimento do orçamento do núcleo familiar com gastos médicos não ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Para idosos, apenas os dois últimos critérios são aplicáveis.


Também foi aprovada a Medida Provisória 1027/21, que autoriza a Fundação Nacional do Índio (Funai) a planejar e montar barreiras sanitárias em áreas indígenas com o objetivo de evitar o contágio e a disseminação da Covid-19 na população local.


Segundo a Articulação dos Povos Indígenas no Brasil, 1.088 indígenas morreram na pandemia e 54.667 contraíram a doença, que afetou 163 povos. As barreiras sanitárias, que servirão para controlar o trânsito de pessoas e mercadorias em áreas indígenas, serão compostas de servidores públicos federais ou militares, que receberão diárias pagas pela Funai.


Outra matéria aprovada foi a Medida Provisória 1025/20, que prorroga até 1º de janeiro de 2023 o prazo para todas as salas de cinema do País oferecerem recursos de acessibilidade a pessoas com deficiência visual e auditiva. A matéria será enviada ao Senado.


A exigência para esse tipo de adaptação nos cinemas está prevista na Lei Brasileira de Inclusão. A regra entra em vigor de forma em janeiro de 2023.

Foi aprovado também o Projeto de Lei 2077/19, que cria o título de Patrimônio Nacional da Saúde Pública, a ser concedido a instituições públicas e privadas sem fins lucrativos. A proposta será enviada ao Senado. De acordo com o substitutivo aprovado, o título é concedido de imediato à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).


Com informações da Agência Câmara

6 visualizações0 comentário